zica

Tendo como base os registros dos casos de zika vírus que ocasionaram cegueira congênita, malformação do globo ocular e surdez congênita em bebês, o Ministério da Saúde (MS) anunciou na última terça (14) um protocolo que tem como objetivo orientar os profissionais de saúde no que diz respeito a assistência das mães e ao tratamento de recém-nascidos que forem diagnosticados com suspeitas dessa doença que causa a malformação do cérebro do bebê.

Só na Bahia foram notificados 180 casos da doença, colocando o estado em terceiro lugar em relação ao número de casos no país, ficando após Pernambuco (804) e Paraíba (316). Com isso, objetivando diminuir os danos das malformações o cérebro, o MS orienta que caso a criança seja diagnosticada com a doença, deverá ser conduzida para o atendimento e estimulação precoce no decorrer dos seus primeiros três anos de vida. E, com base nas explicações do secretário de Atenção à Saúde do MS, Alberto Beltrame, pode-se dizer que além do desenvolvimento retardado, essas crianças poderão ter dificuldades adicionais no caso de surdez congênita.

De acordo com a pasta, o atendimento para esse segmento deverá contar com médicos, fonoaudiólogo e fisioterapeuta, e acontecerá em centros de reabilitação, como as Apaes, ambulatórios nas maternidades e unidades básicas de saúde. Não estando previstas as verbas extras para esses serviços.

Outros problemas foram diagnosticados em alguns dos bebês com suspeita dessa doença como as lesões oculares ou cegueira, além de problemas auditivos. Com isso, o ministério visando solucionar esse problema, anunciou que 737 maternidades serão equipadas para realizar o exame que verifica danos no que diz respeito a audição dos bebês. Além disso, outras medidas estão sendo adotadas pelo MS para que os casos de microcefalia possam ser diagnosticados com antecedência para que possam ser tratados. Dentre as medidas que devem ser adotadas pelas mães está a procura por um serviço de saúde mais próximo caso os sintomas da doença sejam apresentados.

 

Fonte: Correio 24Horas

 

Categories: Uncategorized

Comentários no Facebook

  • Deixe seu comentário

    Nome (*)

    E-mail (*)

    Fone (*)

    Assunto

    Sua mensagem