ID-100171406Tendo como sintomas olhos vermelhos, lacrimejamento, coceira, sensação de corpo estranho, queimação, fotofobia e visão borrada, a Síndrome do Olho Vermelho acomete 20% dos brasileiros no calor. De acordo com Leôncio Queiroz Neto, oftalmologista do Instituto Penido Burnier, essa síndrome pode estar associada com outras doenças como a conjuntivite, alergia, ceratite (inflamação da córnea) ou com a síndrome do olho seco. E isso está relacionado com a mudanças de hábito, maior evaporação da lágrima, queda da imunidade e proliferação de bactérias.

Dentre os mais atingidos por essa doença estão as crianças que, conforme afirma o oftalmologista, a cada 10 crianças que frequentam piscinas e praias quatro possuem a síndrome do olho vermelho. E isso está relacionado com o fato de as crianças ficarem mais tempo na água e nadarem de olho aberto sem utilizarem os óculos de natação. E, através dessa exposição da mucosa ocular com o cloro nas piscinas ou com águas contaminadas do mar, podem ser ocasionadas doenças como a alergia ocular, ceratite, conjuntivite viral ou bacteriana.

Ainda que os sintomas dessas doenças sejam idênticos, o tratamento para cada uma delas é diferente. A alergia ocular, por exemplo, é tratada com o uso de um colírio anti-histamínico e compressas frias. A ceratite e a conjuntivite viral com auxílio de um colírio anti-inflamatório e compressas frias. Já a conjuntivite bacteriana provoca uma secreção amarelada e o tratamento é feito com colírio antibiótico e compressas quentes.

Com isso, Queiroz Neto alerta que o uso prolongado de colírio anti-inflamatório é perigoso pois, em sua fórmula esse medicamento pode conter corticoide que aumenta o risco do surgimento de outras doenças como a catarata e o glaucoma. Já em relação aos colírios que são livres de corticoide, o oftalmologista alerta que seu uso prolongado pode resultar em uma alergia severa nas pessoas com predisposição a reações alérgicas.

No caso do uso prolongado de colírio vasoconstritor no combate a irritação, pode ocasionar uma catarata precoce, além de diminuir a circulação sanguínea e a oxigenação. Já no caso de conjuntivite mal solucionada e de alergias oculares, o resultado é o surgimento da ceratite e de ceratocone, respectivamente.

Fonte: Cenário MT

  • Deixe seu comentário

    Nome (*)

    E-mail (*)

    Fone (*)

    Assunto

    Sua mensagem