aumento-da-diabetes.jpg (560×337)

Cuidados com os olhos todos devem ter, mas, no caso dos diabéticos, a atenção deve ser redobrada. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, quarenta por cento dos diabéticos apresentam problemas de visão. Quanto mais altos os níveis de glicose no sangue, maior o risco de lesões na retina.

O oftalmologista da clínica Salute, Dr. Christopher Morais, explica que o diabetes provoca microaneurismas, que impedem a oxigenação da retina. É a chamada retinopatia, uma das complicações mais frequentes em decorrência do diabetes, que pode levar à perda gradual da visão até a cegueira completa.

Alguns dos sintomas são visão borrada, pontos escuros ou flutuantes, dificuldade em focar objetos e diferenciar cores. Mas a maioria dos pacientes só apresenta os sintomas quando a doença já está num estágio muito avançado e já é difícil salvar a visão. Por isso, é preciso ficar atento e fazer a prevenção, antes que a piora aguda da visão se manifeste.

A recomendação do Dr. Christopher Morais para os diabéticos é realizar o exame de retina a cada seis meses. “O oftalmologista dilata a retina para fazer o mapeamento. É importante o acompanhamento para verificar se já existem áreas afetadas”, afirma.

A doença tem quatro fases. A primeira é não proliferativa inicial, quando pequenos microaneurismas começam a se forma. Em geral não apresenta sintomas. Na fase não proliferativa moderada, a circulação já começa a ser cortada em alguns vasos. Na fase não proliferativa severa, algumas áreas da retina não recebem oxigenação, e o corpo reage. Começa então a fase proliferativa, quando já há sinais de perda de visão.

Segundo o Dr. Christopher Morais, o principal tratamento para a retinopatia é o controle da glicemia. Já na fase mais avançada, alguns tratamentos são indicados, como, por exemplo, a fotocoagulação a laser, que pode retardar ou impedir a perda completa da visão. “O laser age na retina interna e consegue manter a visão central, mas há perda completa da visão periférica”, explica oftalmologista.

Problemas como colesterol e pressão alta, associados ao diabetes, são fatores de risco adicionais. Além disso, idade superior a 45 anos, histórico familiar e uso de certos medicamentos também podem aumentar as chances de o diabético desenvolver a retinopatia.

O melhor remédio é mesmo a prevenção. Para manter a visão saudável, os diabéticos precisam controlar a glicemia e não se esquecerem de procurar regularmente o oftalmologista.

Fonte: Segs

Categories: Uncategorized

Comentários no Facebook

  • Deixe seu comentário

    Nome (*)

    E-mail (*)

    Fone (*)

    Assunto

    Sua mensagem